Mentes empreendedoras


Empreendedorismo Inspiração Social
10 dez 2017 | Sarah Santos


Você sabe o que Steve Jobs, Stephen King, Leonardo da Vinci, Fernando Pessoa e até mesmo Pelé têm em comum? Todos eles possuem altas habilidades.

De acordo com o Mensa, sociedade internacional que reúne pessoas com alto QI, apenas 2% da população mundial é diagnosticada com altas habilidades, ou superdotação. Esse grupo de indivíduos possui desempenho acima do normal em determinadas áreas do conhecimento.

 

Segundo dados de 2007 do Ministério da Educação, uma criança ou jovem com altas habilidades costuma aprender fácil e rapidamente, é original e criativo, está sempre bem informado em áreas não comuns, pensa de forma criativa para resolver os problemas, é persistente, auto-direcionado, ou seja, faz coisas sem que seja mandado, é também persuasivo e capaz de influenciar os outros.

 

Essas características também preenchem o perfil empreendedor, de pessoas curiosas para aprender mais, que acreditam e investem em suas ideias e conseguem cativar outras pessoas com seu conhecimento. Inclusive, grandes inventores e pessoas a frente do seu tempo foram pessoas superdotadas.

 

Porém, não é apenas o teste de QI que identifica uma superdotação. É possível que a pessoa com altas habilidades também seja diagnosticada através de acompanhamento psicológico que leva até um ano. A pedagoga Rosemary França, especialista no atendimento a crianças e jovens com superdotação, explica que a mídia não aborda corretamente a questão, “nos desenhos animados, por exemplo, a pessoa com alta capacidade intelectual é sempre vista usando óculos, de pouco diálogo, com o estereótipo de nerd”.

 

Engana-se quem pensa que a pessoa com habilidade intelectual acima do comum será um gênio em disciplinas como matemática e ciências. Para isto, existem os tipos de inteligências, que são divididas em: intelectual, social, acadêmico, criativo, psicomotora e talento especial. O indivíduo pode possuir uma ou mais categorias. Até mesmo jogadores de futebol como o Neymar, por exemplo, podem possuir altas habilidades por seu talento demonstrado em campo.

 

Casos de Destaque

Luiz Fernando Borges é um cientista sul-mato-grossense de 19 anos que já recebeu prêmios internacionais e dá palestras pelo país sobre seus projetos de pesquisa de adaptações robóticas para pessoas com deficiência. O jovem possui altas habilidades e conta que quando descobriu, pesquisou muito na Internet sobre o assunto, “eu nem sabia que existiam pessoas assim. Mas quando soube casos notórios de superdotados brasileiros, me senti parte de algo pela primeira vez”.

 

Ele também compartilha que sua família já desconfiava que suas habilidades eram acima do normal e que essa descoberta foi a confirmação das causas de seu comportamento peculiar, “antes meus interesses, gostos e assuntos eram deslocados das pessoas da minha faixa-etária”.

 

Há muito mais pessoas com altas habilidades ao nosso redor do que imaginamos. Recomenda-se o incentivo e acompanhamento psicológico para a descoberta de novos talentos. O jovem superdotado deve ser inserido no meio social e estimulado para desenvolver suas vocações.

 

A plataforma Eu Empreendo busca valorizar e estimular a individualidade de cada aluno, a fim de potencializar suas vocações para um futuro com mentes brilhantes e empreendedoras.



Comente


Artigos Relacionados


Aprendizagem socioafetiva: o entusiasmo na educação

As habilidades socioafetivas são tão importantes quanto o aprendizado em português e matemática para compor uma sociedade com bons cidadãos. […]

A Ascenção e a queda de Sophia Amoruso, criadora de um império de vendas online

Estamos acostumados com histórias de empreendedores que começaram do zero e conquistaram seu espaço no mercado por meio de uma […]

Os Desafios da Coordenação de Escolas

A realidade de cada escola é bastante específica ao considerar aspectos pedagógicos, sociais e financeiros dos estudantes e suas famílias. […]


Conheça nossa Plataforma Gamificada de Inovação e Empreendedorismo?